Um dia, em Qualquer Lugar


 Um dia, em qualquer lugar, encontraremos a nossa alma gêmea, nós mesmos; e então teremos uma grande oportunidade de descobrir quem fomos e principalmente quem somos. Muitas pessoas têm medo da solidão sem saber ao certo o que ela é, os menos informados pensam que está só, e não têm a noção exata que precisamos de solitude e aprender com ela. 

 

A solitude em si, é gostar de estar com você mesmo, sem medo ou carência de companhia. Um dia, em qualquer lugar, seremos visitados pelo todo poderoso tempo que acompanhado de solidão ou solitude nos dirá o que nunca alguém nos disse; ao invés de chorarmos nesse momento, precisamos fazer um agradecimento, por talvez ainda exista tempo para reparos. 

Somos todos um oceano de aventuras, estamos quase sempre desbravando fronteiras desconhecidas e inexpressivas, só depois conseguimos visualizar o tempo que desperdiçamos. 

 

Os nossos desafios são verdadeiros termômetros que medem a nossa capacidade de ação e superação, nem podemos pensar em fugir deles ou ignorá-los, senão eles fermentam e ficará muito mais difícil resolvê-los. A regra de número trinta e quatro de São Bento, poderia ser aplicada a todos nós "É proibido resmungar”. 

E muito embora tal comportamento possa aliviar as nossas tenções, de nada vai adiantar, o que faz mesmo a grande diferença, é encarar de frente, e agir. 

 

Essa ação precisa de plano e estratégia, sair às cegas não será uma atitude confiável nem inteligente, o ideal será administras as emoções e encontrar alternativas com soluções a curto e médio prazo, se funcionar prolongaremos as ações e fazemos um aprimoramento das mesmas sem ignorar as surpresas. 

 

“O conhecimento é um farol na escuridão” 

 

Antônio Lopes Bezerra  

Inspiração para uma vida plena